limites.


Há aqueles dias em que acordamos de manhã e parece que tivemos ligados a uma corrente eléctrica, durante toda a noite. Esses dias são os melhores, são aqueles em que eu me sinto feliz, em que falo para toda a gente com um sorriso nos lábios. Em que me rio por tudo e por nada. São estes dias que marcam as pessoas, tipo aqueles dias de sol, em que só nos apetece jogar ao molha, não pelo simples facto de molhar as outras pessoas, mas sim sermos nós, aqueles que levam com a água no corpo. É uma sensação de viver novamente! É nesses momentos que nos sentimos capazes de fazer tudo, e não ter medo de nada.
Depois, à aqueles dias em que acordamos de manhã, e nos apercebemos que temos que enfrentar mais um dia, mais uma batalha, mais uma guerra. Estes dias, custam a passar, são os mais longos, e aqueles que mais odeio. Queremos estar sozinhos, mas não podemos, porque temos sempre alguém a tentar chamar a atenção. E a vontade que eu tenho de correr para longe, para outro lado qualquer, sozinha, é cada vez mais forte. Só que não podemos. Não podemos fugir da realidade dos nossos dias. Não podemos fugir de uma batalha diária. Apenas não podemos. Sentimos-nos presas a alguma coisa, a alguém. Ouvimos o " eu quero sair daqui, quero fugir", que a nossa consciência nos diz. E ouvimos ainda " Não! Tu vais enfrentar mais um dia! "
Qual deles ouvir ? Talvez ouvir a nossa consciência, seja o mais acertado, mas nós queremos sempre lutar. Lutar, lutar e lutar. Eu luto, só que já quase que não vale a pena.
Eu quero aqueles dias, em que me sentia feliz, só pelo facto de ter alguém que me fazia querer viver. Agora ? Agora nem isso tenho. Não tenho uma única motivação para enfrentar mais um dia. Tudo porque foste embora. Tudo porque me traíste. Tudo porque nunca mais quiseste saber de mim. Eu vou reaver os meus lindos dias, vou. Contigo a meu lado, ou não! :c